quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Cassandra


Fedi a placenta e estive enroscada no cordão umbilical.Sai para a claridade,dei um berro porque levei o primeiro tapa e vi tudo de cabeça para baixo,me seguravam pelos pés,dependurada no ar.Assim tive a primeira visão das coisas:De cabeça para baixo!
Enfim,nasci.Como toda gente.E fui criança.O cordão umbilical foi espichado(o psicológico,claro) e como elástico um dia arrebentou.
Cai no mundo!
Conheci a palavra e os seus significados.
Um dia alguém me mandou a merda,puxou meu cabelo eme mandou a puta que pariu.
Um dia beijaram-me na boca.Eu só conhecia carinho amigo,não conhecia carícia.
Eu estava começando a viver.Entendi que me empurravam para a luta e eu nem sequer usava farda nem armas...Como não??E a máscara do rosto?E a palavra?
Todo ser humano é um soldado.Então comecei marchar.
O inimigo sorria para mim e o amigo sempre vinha me apunhalando pelas costas.Aprendi com eles o que é ser ardiloso,sutilmente comecei evita-los,para não agir de igual modo,defendendo-me das suas falsidades com um afastamento irreversível.
Com mais jeito e mais elegância aprendi também sorrir para quem me era antipático,ao invés de fazer uma careta como era minha vontade.Afinal,sou uma pessoa delicada e educada,embora aprenda fácil as lições da vida,não mudo minha personalidade.
 Que personalidade?A que chora?Que ergue a cabeça e pisa duro?Que dá  no pé e vira as costas para o que não serve?Que consome-se  em cismas nas atitudes certas que deve tomar e não toma atitude alguma?
A que suplica?A que corre em busca de sonhos para os esconde-los debaixo da cama?

Ih!Eu nem sei o que sou.
Sou gente.É isso ai